CALOR I Onda de calor deve se estender pelo menos até quarta em SP e no Brasil

Temperaturas podem superar os 42ºC em algumas regiões; Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo e Minas Gerais estão sob risco

O Brasil enfrenta uma onda de calor histórica, com temperaturas que prometem ultrapassar os limites já registrados neste ano. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta vermelho nesta sexta-feira, indicando grande perigo em pelo menos seis estados e no Distrito Federal. Essa condição se estende por mais de cinco dias, com os termômetros podendo atingir até 5ºC acima da média.

Esta é a oitava onda de calor em 2023, e as previsões indicam que as temperaturas podem superar os 42ºC em algumas regiões. O alerta vermelho abrange a região central do país, com destaque para Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul. Além disso, partes de Rondônia, São Paulo e Minas Gerais também estão sob risco.

O QUE SIGNIFICA O ALERTA VERMELHO?

Quando o Inmet emite um alerta vermelho, significa que a situação meteorológica é de grande perigo, com uma alta probabilidade de ocorrerem danos e acidentes, representando risco à integridade física e até mesmo à vida humana. Nesse cenário, a população pode sentir efeitos como pele ressecada e desconforto nos olhos, boca e nariz. Manter-se hidratado torna-se crucial para enfrentar o calor extremo.

ATÉ QUANDO VAI A ONDA DE CALOR?

A previsão do Inmet indica que a onda de calor intensa persistirá até a próxima quarta-feira. Durante esse período, as autoridades recomendam que as pessoas evitem exposição prolongada ao sol, busquem locais arejados e mantenham-se bem hidratadas.

ALERTAS ADICIONAIS E IMPACTOS REGIONAIS

O Instituto emitiu também alertas de tempestades para as regiões Norte e Sul do país. No Distrito Federal, espera-se que o clima permaneça acima de 36ºC, com baixa umidade, a partir das 12h deste sábado. No Centro-Oeste, a população do Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul deve estar atenta aos riscos à saúde.

Na região Sul, a previsão é de pancadas de chuva no fim da tarde e início da noite, especialmente no oeste do Rio Grande do Sul. No Sudeste, as temperaturas podem atingir até 38ºC no fim de semana, com pancadas de chuva à noite.

CONDIÇÕES CLIMÁTICAS E O PAPEL DO EL NIÑO

A meteorologista Andrea Ramos destaca que o El Niño, presente desde junho, contribui para o quarto mês consecutivo de temperaturas acima da média, datando desde 1961. Algumas regiões podem experimentar temperaturas extremas, alcançando até 45°C e 46°C neste fim de semana.

Em meio a essa onda de calor, o país vivencia um cenário complexo, onde fenômenos climáticos como o domo de calor têm impacto significativo. Este fenômeno ocorre quando uma área de alta pressão permanece por um período prolongado, aprisionando o ar quente e contribuindo para o aumento das temperaturas.

Autoridades recomendam que a população esteja atenta aos alertas meteorológicos, siga as orientações de segurança e busque medidas para mitigar os efeitos do calor extremo.

Fonte: Exame

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =