​Não há evidência de transmissão por água potável, mas especialistas aconselham evitar compartilhar objetos

Até o momento, não existem evidências de que o Sars-CoV-2 permaneça viável na água potável, embora sua presença já tenha sido relatada no esgoto, resíduos líquidos hospitalares e em poças d’água na rua.

É importante lembrar que em nenhum desses casos o vírus foi encontrado com cargas virais infectantes.

Em relação ao compartilhamento de objetos, Thais Guimarães, infectologista do Hospital das Clínicas da USP e do Hospital do Servidor Público Estadual, informa que a recomendação médica é não compartilhar itens, tais como talheres, copos e garrafas, com pessoas com suspeita de Covid-19.

Guimarães explica que o compartilhamento de objetos é uma via de transmissão indireta. “Se eu tomar água em um copo e depois uma outra pessoa usar o mesmo copo, o problema foi o contato da minha boca -que pode ter o vírus- com aquele objeto. Por isso o contágio é por meio do objeto contaminado”, completa.

Fonte: Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × 2 =